Pasamonte

Ás 5:00 hs na manhã de 24 de Março de 1933, aproximadamente 100 pedras totalizando 5,1 kg foram vistas e ouvidas cair no Novo México deixando testemunhas no Novo México, Colorado, Kansas, Oklahoma e tão longe quanto o Texas e Wyoming. A bola de fogo deixou um rastro de poeira grosso e retorcido no céu de provavelmente quase 2 km de largura e centenas de km de comprimento compreendendo talvez milhares de toneladas de material.

Agarrando sua câmera Kodak Brownie, Charles M. Brown tirou uma rara foto da bola de fogo durante o vôo, enquanto espiralava em direção a Terra. 

Uma pesquisa feita por Nininger demonstrou que o meteoro foi visível entre 15 a 22 segundos. A núvem de poeira foi visível por 3 horas ou mais. O diâmetro da esfera luminosa era de cerca de 10 km e o rastro espiral de fumaça de quase 2 km.

As pequenas pedras foram coletadas por rancheiros ao longo de uma distância de 45 km, próximo ao Rancho Pasamonte, a 40 km de Clayton, Novo México, e foram subseqüentemente identificadas como meteoritos por Nininger que localizou independentemente o campo de espalhamento depois de passar vários meses entrevistando testemunhas.