Holbrook

Em 19 de julho de 1912, a calma de Holbrook, Arizona, EUA,  foi interrompida, aproximadamente às 06:30, hora local, por uma série de sons altos seguidas por várias explosões em rápida sucessão. Todo o evento explosivo durou cerca de meio a um minuto. Alguns moradores de Holbrook olharam para o céu, mas havia muita luz do dia para ver a luz brilhante do meteoro. O meteoro foi visto por uma testemunha explodindo cerca de uma milha ou duas no ar. Estima-se que 14000 a 16000 pedras de tamanho de ervilhas se espalharam pelo chão próximo ao Aztec Rail Yard, seis milhas (cerca de 10 km) a leste de Holbrook. 

Relatos de moradores das cidades vizinhas de St. Joseph, Woodruff, Pinedale, e Concho confirmaram as explosões a até 40 milhas (cerca de 64 km) de distância. Alguns moradores relataram que o meteoro deixou uma nuvem de fumaça no céu. Uma testemunha ocular relatou ver nuvens de poeira subindo da areia enquanto pedaços de meteoritos atingiam o chão cerca de uma milha de distância. Várias testemunhas relataram que o som parecia como se tivesse sido disparado um canhão.

Cerca de duas dezenas de pessoas foram ao Aztec Yard durante os dois dias seguintes e começaram a recuperação de pedaços do meteorito. A maior pedra recuperado pesava cerca de 14 libras (cerca de 6 kg). Nos próximos dias vários milhares de fragmentos (cerca de 14.000) foram recuperados e as pessoas continuam a fazer isso desde então. Foi estimado que o meteorito Holbrook tinha uma massa total de 421 libras (cerca de 190 kg). A maioria das peças recuperadas foram vendidas ao Foote Mineral Company of Philadelphia.