Mafra

Em 1941 em Mafra, SC, muitos observadores testemunharam a queda de uma chuva de meteoritos na qual apenas 4 amostras foram recuperadas de buracos de até 1 metro de profundidade. Uma destas amostras foi doada pelo Sr. Theodoro Saad ao Dr. Sérgio Estanislau do Amaral que por sua vez o cedeu ao Departamento de Geologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP. A amostra da USP, apresenta aspecto poliédrico com 8x6x5cm pesando 600g com crosta de fusão. Pelas informações dadas peloas observadores, não foi possivel na época determinar nem o rumo nem o ângulo da passagem atmosférica.

O Mafra foi primeiramente classificado como um H4 por Levi-Donati et al 1976, mas reclassificado com bases nos teores químicos e texturais em um condrito ordinário do tipo L3-4 e com clastos 4-5.

Fonte: Meteoritos: Cofres da Nebulosa Solar, Scorzelli, Varela, Zucolotto.