Campo del Cielo

O primeiro registo da existência de meteoritos na região data de 1576 quando um Governador espanhol recolheu ferro dos índios que acreditavam que tinha “caído do céu”. O governador enviou uma expedição comanda pelo capitão de Miraval que recolheu vários fragmentos de uma massa ferrosa a que chamou “Campo del Cielo”, designação que estaria na base do nome moderno do local.  Foram encontradas pelo menos 26 crateras, sendo a maior de 115 x 91 m em uma área de 19 x 3 km. Com o tempo foram encontrados milhares de fragmentos (com idade estimada de 4.000 anos), sendo que a massa total hoje é estimada entre 50 e 100 toneladas. O fragmento chamado de El Chaco é o 2º maior do mundo com 37.000 kg, atrás apenas do Hoba.

Acredita-se que o meteorito que se fragmentou dando origem a várias dezenas de pedaços dos quais este é um exemplo seria de forma tubular, quebrando-se aquando da entrada na atmosfera terrestre.

 Classe Química: Grupo I (6.68% Ni, 0.43% Co, 0.25% P)
87 ppm Ga, 407 ppm Ge, 3.6 ppm Ir.